Editora Novo Conceito

Publicidade

Banner exemplo

Uma escritora caminhando pelo Brasil!

20 de Maio de 2014 | Tammy Luciano

Escrever livros é uma delícia, mas poder abraçar pessoalmente um leitor, para mim, é algo enriquecedor, tanto quanto escrever minhas histórias. Sei que nem todos os escritores gostam desse contato direto. Alguns dizem amar escrever, mas divulgar não acham que cabe a quem cria personagens. Talvez por ser atriz, por ter os sentimentos do palco dentro de mim, ter me formado em jornalismo, adorar escutar histórias e conhecer pessoas, meu trabalho tem esse lado bem forte de acompanhar o meu livro, trabalhar pessoalmente sua divulgação e ter a honra de conhecer os leitores em cidades, eventos, livrarias, escolas...

E esse ainda é um lado aspecto da carreira de escritor pouco comentado. A maioria dos leitores não tem ideia como nos dedicamos. Escrever o livro se torna parte de um trabalho extenso. Pelo menos assim funciona para mim. Depois que o livro chega nas livrarias, minha rotina se volta para viagens, projetos de divulgação e encontros extraordinários com pessoas conhecedoras do que publico.

Então, quando um leitor diz: “Tammy, terá um evento em Araruama, a Secretaria de Cultura gostaria de saber se você aceitaria visitar a cidade. Diz que sim?”. Digo, lógico! Assim, com a ajuda da Laryssa Gindre, uma leitora apaixonada por livros, moradora da cidade de Araruama, acertei minha ida, junto com a escritora e amiga de editora, Graciela Mayrink.

Chegamos na cidade às dez horas da manhã, do último sábado. A feira que aconteceu  em uma das suas ruas principais, me deixou emocionada. A gente já desceu do carro, querendo andar pelos estandes. Muitos livros estavam com preços populares, ótimas opções para quem quer comprar gastando menos. Quem disse que fiquei sem trazer alguma história para casa? Comprei “Beauvoir Apaixonada”, de Iréne Frain. O livro retrata a paixão avassaladora da lendária Simone de Beauvoir pelo escritor Nelson Algren. E onde fica Jean-Paul Sartre nisso tudo? Ainda não li o livro, mas pelo que entendi, Beauvoir viveu com Nelson um caso de amor intenso.

Conhecemos a praça principal, com uma linda igreja e uma homenagem ao menino João Hélio, que costumava visitar a cidade, e faleceu em um crime hediondo, no Rio de Janeiro, há poucos anos. Depois de almoçarmos, conheci  a Livraria Castro Alves. Sei como é importante uma livraria em uma cidade pequena. Recebo muitas mensagens de leitores entristecidos, por não terem uma no local onde moram. A vendedora ficou tão feliz em conhecer escritoras que pediu uma foto com a gente. Nessas horas, penso na dignidade do trabalho de autora e como temos, de certa forma, alguma missão nessa caminhada. Não quero superlativar nosso trabalho, mas o respeito recebido me traz muitas certezas. Meus dois livros estavam na Livraria e é especial viajar e encontrar minhas histórias espalhadas pelo país.

A divulgação na cidade de Araruama continuou. Acompanhadas do Secretario de Cultura da cidade, Robson Sales, eu e Graciela Mayrink fomos entrevistadas na Rádio Costa do Sol. Papo bom e um carinho enorme do locutor Marcelo Merecci e do comentarista Fernando Almeida com o nosso trabalho. Os dois elogiaram nossa desenvoltura e acho curioso as pessoas se surpreenderem com escritoras que sabem falar bem e têm algo a dizer.

Depois da entrevista, voltamos à Feira e tivemos a oportunidade de encontrar leitoras que foram especialmente para nos ver. Que pessoas lindas, valorizando autores e apoiando o evento. Eu faço festa com os leitores por isso e me sinto no dever de deixar claro como cada um é importante para mim e como me fazem feliz. Por isso não me importo em viajar, divulgar meus livros, saber quem são essas pessoas, escutar suas vozes e olhar seus sorrisos. Valéria, Ana Maria e Darclei, o nome de vocês está aqui e na memória. Sem medo de errar, digo que a nossa ida à cidade teve uma grande importância para a cultura local. Primeiro para quebrar o estigma do escritor isolado, escrevendo em uma ilha e distante. Depois para deixar um incentivo não só de leitura, mas de escrita. Quem sabe mais alguém decide escrever nesse país? A repórter e locutora, Marilza Alves Eches, que também é astróloga, nos entrevistou na Casa de Cultura da Cidade e disse que costuma escrever e demonstrou grande interesse em investir ainda mais em seus textos.

Talvez eu até pudesse não batalhar tanto pela divulgação do meu trabalho. Volto a lembrar dos escritores comentando como acham desnecessário essa minha luta de visitar cidades, fazer tantas palestras, visitar escolas regularmente. Seria melhor gastar esse tempo escrevendo novos livros, já escutei de alguns. Mas eu não seria tão feliz, não teria tantas confirmações, não me sentiria como estou agora, com o coração tranquilo por ter ido até mais uma cidade, apenas para dizer um ‘Muito obrigada’.

Até semana que vem!

Sejam sempre felizes!

Nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar

avatar novo conceito

Cadastrando sua mensagem, por favor aguarde...

Receba nossa newsletter

Fique por dentro das novidades

Grupo Editorial

Novo Conceito

UMA EQUIPE JOVEM, pronta para DESTACAR-SE NO MERCADO PUBLICAndo CONHECIMENTOS, lançando autores E FAZEndo HISTÓRIA.

  • Emily Giffin

    UMA PROVA DE AMOR

    Emily Giffin