Editora Novo Conceito

Publicidade

Água com açúcar: tem mistura melhor?

03 de Julho de 2014 | Marina Carvalho

A leitura é importante para mim e deixo sempre bem claro que gosto de muitos gêneros, mas costumo pender para as histórias de amor. Afinal, quem não gosta de um final feliz?

Eu adoro comédias românticas. Não escondo de ninguém que prefiro um filmezinho água com açúcar, com uma história bem clichê, a qualquer outro tipo de gênero. Cresci assistindo aos romances açucarados dos anos 1980, como A garota de rosa shocking, Top Gun, entre tantos outros.

Assim como os filmes "docinhos", os romances têm a magia de deixar o meu dia mais leve. Mas aprecio também um bom suspense, com direito a assassinatos misteriosos, além da literatura histórica, que retrata personagens do passado. Só não gosto mesmo é de autoajuda (nada contra quem curte). É que, por ser meio prática, as teorias me cansam um pouco.

Minha paixão pela leitura começou quando eu ainda era bem pequena, com as revistinhas da Turma da Mônica. Minha mãe assinava e eu ficava esperando ansiosamente pela chegada delas todos os meses. Quando as histórias em quadrinhos não eram mais suficientes, passei a ler os livros da Ediouro, e aí tive acesso à literatura. Conheci Ana Maria Moretzsohn, Pedro Bloch, Louisa May Alcott, Sulema Mendes, entre tantos autores que escreviam para um público juvenil ainda tímido, que não tinha o costume de ler por prazer. Ressalto: a maioria das histórias era romance puro e simples.

Devorei Como uma onda no mar, As filhas do Dr. March, Júlia dos sete aos dezessete, Marina, Marina... Ih! Já perdi a conta.

Mais tarde, lá pelos 16 anos, conheci Agatha Christie e Sidney Sheldon e os dois passaram a ser meus escritores favoritos naquela época (ela, "A rainha do mistério", ainda mais do que ele). Nessa fase da minha vida, deixei os romances um pouco de lado e passei a curtir outros gêneros, o que foi bom. Afinal, aprendi que não precisamos gostar de apenas um tipo de leitura.

E foi assim. Sempre um livro debaixo dos braços e na cabeceira da cama. Meus companheiros de todas as horas.

Hoje continuo a mesma leitora voraz, talvez até mais, porque agora sou eu mesma quem compra meus livros (risos). Fiz um balanço desde 1º de janeiro – agradeço ao Skoob por essa facilidade – e constatei que, até agora, li quase 50 obras em 2014. Dessas, 90% são romances, uns leves, outros intensos, alguns até hardcore (risos de novo), o que comprova minha preferência.

E vocês? De quais gêneros mais gostam. Quero saber.

A gente se fala na semana que vem.

Abraços e até lá!

Nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar

avatar novo conceito

Cadastrando sua mensagem, por favor aguarde...

Receba nossa newsletter

Fique por dentro das novidades

Grupo Editorial

Novo Conceito

UMA EQUIPE JOVEM, pronta para DESTACAR-SE NO MERCADO PUBLICAndo CONHECIMENTOS, lançando autores E FAZEndo HISTÓRIA.

  • Emily Giffin

    UMA PROVA DE AMOR

    Emily Giffin