Editora Novo Conceito

Publicidade

Meus autores favoritos

14 de Maio de 2014 | Graciela Mayrink

Algumas semanas atrás falei dos estilos de leitura que gosto. Hoje vou contar quem são os autores que fazem a minha cabeça à noite, quando pego um livro para ler.

Sou bem eclética e na minha lista de favoritos constam vários escritores que não têm nada a ver com o que eu escrevo. E acho isso ótimo, porque dá uma diversidade na hora de ler, me levando a universos diferentes ao que estou acostumada, o que é sempre bom para aguçar ainda mais a criatividade.

Tentei organizar em ordem de preferência, mas eu tenho meus momentos. Dependendo da fase em que estou vivendo, determinado autor citado abaixo se torna o favorito daquela hora. Então vou colocar por ordem alfabética:

Anne Rice – Quando O Vampiro Lestat (meu favorito dela) foi lançado, eu era uma adolescente que amava livros. Eu me lembro de entrar na livraria, me apaixonar pela capa brega rosa, cheia de morceguinhos pretos e levar para casa o primeiro livro da minha diva. Foi quando descobri Anne e não larguei mais. Já li todos os livros dela lançados no Brasil e são os únicos sobre vampiros, bruxas e lobisomens que gosto de ler. Afinal, ninguém escreve sobre eles como Anne.

Bernard Cornwell – Livros de batalhas históricas são minhas paixões e Cornwell é um mestre nisso. Ele mistura uma linguagem cheia de humor e sarcasmo, com personagens extremamente cativantes, para descrever de forma magnífica eventos reais dos séculos passados. Cada livro seu se passa em uma das guerras/disputas que realmente aconteceram na Europa, a não ser a trilogia favorita da minha estante: As Crônicas de Artur. Foi com ela que descobri Cornwell, por causa da minha paixão pela lenda do Rei Artur. Desde então, já devorei seus livros.

Fernando Sabino – Sempre digo que o dia em que eu escrever tão bem quanto Fernando Sabino, serei uma escritora feliz. Com um texto rico, linguagem fácil e personagens que parecem fazer parte da sua família, Sabino constrói romances e contos perfeitos, dos quais, confesso, morro de inveja por não ter sido eu quem escreveu. É dele o meu livro favorito entre todos, se precisar citar algum: O Encontro Marcado. É um livro que eu gostaria muito de ter escrito.

Harlan Coben – Sabe aquele livro que você pega, começa a ler, fala “só mais um capítulo” e quando vê já está na metade? É assim com os do Coben. Não consigo largar porque são várias tramas se desenvolvendo e que parecem não ter nada a ver uma com a outra, mas que no final tudo faz sentido. E o melhor da escrita do Harlan é que eu nunca consigo descobrir como vai terminar. Penso em várias alternativas e ele sempre me surpreende. Adoro isso porque, convenhamos, descobrir quem é o bandido antes da metade de um livro é muito chato. Ah, eu também amo o sarcasmo de seus personagens. Meu favorito dele é Cilada.

John Grisham – Este autor entra no mesmo quesito do Coben: pego um livro dele e não consigo largar. Adoro seus romances de tribunais, suas tramas onde nem sempre o personagem principal do livro é o mocinho, mas ele é tão carismático que você torce para se dar bem no final. Sim, alguns de seus livros fazem você torcer pro cara malvado. E Grisham faz duas coisas que adoro: finais que não são totalmente conclusivos, para deixar o leitor pensar no que pode ter acontecido, e encerramentos onde nem sempre o vilão se dá mal. Bem, e assim é a vida real, certo? Ainda não li todos os livros dele, então cada hora o favorito muda porque sempre existe um melhor que o outro. Até o momento, meu preferido é A Confissão.

Luis Fernando Verissimo – Ninguém coloca o humor no papel de forma tão brilhante como Verissimo, e não consigo imaginar alguém que não goste de seus textos. Eu me divirto com seu brilhantismo, sua forma de brincar com as coisas do cotidiano, seu sarcasmo (já deu pra ver que adoro sarcasmos, né?) e já chorei de rir, literalmente, com vários contos. Eu me apaixonei por este escritor quando era pequena e pegava o jornal para ler a parte dos quadrinhos. As tirinhas As Cobras são minhas favoritas e guardo com carinho um exemplar da Antologia Definitiva autografado pelo autor.

Nicholas Sparks – Se ninguém coloca o humor no papel tão bem quanto Verissimo, ninguém escreve romances tão perfeitos quanto Nicholas Sparks. São aqueles livros que nos identificamos com as histórias porque elas poderiam acontecer com qualquer pessoa que conhecemos, inclusive com a gente. O único problema é que precisamos sempre de uma caixa de lencinhos ao lado, enquanto lemos seus livros. Mas talvez seja isso que os torna tão perfeitos. Dele, o meu preferido é Diário de Uma Paixão

Nick Hornby – Descobri este autor, pouco conhecido entre os brasileiros, em uma comunidade do Orkut e adorei a sua forma de escrever. É um texto com humor, de histórias cotidianas, atuais e, por quê não, bem reais? Meu favorito é Uma Longa Queda, que virou filme e deve estrear nos cinemas (espero que aqui no Brasil também) este ano.

Estes são os autores que se eu fosse obrigada a ler apenas os livros deles o resto da minha vida, não iria achar ruim. E quais são os seus?

Até a próxima semana!

Nenhum comentário

Seja o primeiro a comentar

avatar novo conceito

Cadastrando sua mensagem, por favor aguarde...

Receba nossa newsletter

Fique por dentro das novidades

Grupo Editorial

Novo Conceito

UMA EQUIPE JOVEM, pronta para DESTACAR-SE NO MERCADO PUBLICAndo CONHECIMENTOS, lançando autores E FAZEndo HISTÓRIA.

  • Emily Giffin

    UMA PROVA DE AMOR

    Emily Giffin